paroquia de S. Teresinha do Menino Jesus-Acólitos

Categoría: Autos
Fecha: 29/01/2013 10:05:40
Visitas: 635

Aplicaciones

Goodgame Big Farm

Administra tu propia granja

Goodgame Empire

Construye tu propio imperio

Artigo I

1.1- Com fé e dedicação nas coisas santas e no amor a Deus em servir o altar da Eucaristia nos oferecemos a Jesus Cristo para sempre;

1.2- Este grupo de acólitos de São Domingos Sávio tem como lema «fé amor em Jesus Cristo».

b) Objectivo

2.1-servir a Jesus Cristo sacramentado na Eucaristia e ajudar às actividades da paróquia tais como:

· Execução de cartazes;

· Embelezamento e arrumação dos trabalhos planificados pelo conselho paroquial;

· Fazer Hóstias;

2.2-o que guarda a sua boca conserva a sua alma mas o que abri os seus beiços tem perturbações. Com esta frase pretendemos formar pré-adolescentes, adolescentes e jovens nas vertentes humanas, cívicas e religiosas de orientação cristã.

2.3- É objectivo também do grupo: ajudar no melhoramento da paróquia, sendo assim, todo aquele que quiser ser acólito deverá ter um comportamento aceite pelo grupo.

c) Local de reuniões e encontros

3.1- O local para as reuniões e encontros devem ser numa das salas da paróquia.

3.2- O local deve ser bem arranjado, iluminado, limpo e arranjado.

3.3- Quando um destes elementos faltar, a comissão de disciplina e higiene deverá prestar contas à direcção do grupo.

3.4- No caso de se repetir por mais vezes os elementos em cargo deverão ser substituídos pela incapacidade do exercício do seu trabalho.

d) Reuniões e encontros

4.1- Todos os sábados as 8:00 (encontros) Presididos pela direcção do grupo e no último Sábado deve ser presidido pelo assistente espiritual.

4.2- Aos últimos Domingos, todos os membros devem s reunir-se com o presidente do grupo as 15:00 na sala habitual. Se por razões não justificáveis um acolito não estiver na sala deve ser notada como indisciplinado e cabe a direcção do grupo dar um determinado castigo há quem assim proceder.

4.3- Tanto as reuniões como os encontros devem de ter o tempo máximo de 1:30 e o mínimo de 45minutos.

e) Formação

5.1- O formador deve ser acompanhado pela comissão da higiene e disciplina. Em caso de contradição os dirigentes passam à notar.

5.2- O tempo de formação vai depender de como o acólito se vai desempenhar. Por isso, oscila entre os seis (6) a oito (8) meses.

5.3- O formador deve cumprir o tempo que se encontra estabelecido no estatuto. E se por motivos não explicados o formador desrespeitar deverá prestar contas à presidência.

5.4- A formação abrange ao máximo oito (8) meses repartidos em quatro de teorias e quatro de prática. O formador não deve juntar a teoria e a prática pois se assim fazer deverá prestar contas a direcção do grupo por desrespeitar o estipulado no regulamento.

5.5- Os "para acólitos" também já têm de endereçar ao grupo e começar à assistir as reuniões e encontros mas só se tornará realmente acólito depois do seu compromisso.

5.6- Os "para acólitos" só poderão fazer parte da lista do secretário quando completarem quatro (4) de frequência. Se o secretário não o fizer deverá prestar contas à direcção do grupo.

5.7- A formação deve ser aos Domingos excepto o último em que todos os membros se encontram para avaliar o andamento do grupo, isto é, pelas 15:00 até às 16:30.

5.8- Os meses que tiverem cinco (5) semanas servirão para se fazer ensaios gerais para preparação das cerimónias e para corrigir certos erros que acontecem nos dias normais.

f) Compromisso

O compromisso é o pórdigo para o mundo do acólito!!! Porque é com ele que se assume diante de Deus e com todas as convicções o seguimento de seguir Jesus Cristo sacramentado na Eucaristia. Por isso, ele deve ser preparado de todas as formas.

6.1- No dia do compromisso segundo a hora agendada pelo pároco e o seu conselho os novos devem fazer o seu compromisso e os antigos renovar.

6.2- Se um acólito não renovar o seu compromisso deverá não acolitar até renovar o seu compromisso.

6.3- Antes que o acólito e o para acólito façam e renovam o seu compromisso deverão confessar-se depois da vigília e do retiro.

g) Direcção e comissão de trabalho

7.1- A direcção do grupo é encabeçada pelo presidente.

7.2- Toda a ordem que não estiver no estatuto cabe ao presidente estabelecer e quem desrespeitar deverá ser suspenso mas sempre com a observação de quem acompanha o grupo.

7.3- A direcção deverá ser constituída pelos seguintes elementos:

v Presidente e seu adjunto;

v Secretário e seu adjunto;

v Tesoureiro e seu adjunto;

v Vogal e seu adjunto;

7.4- As comissões de trabalho são as seguintes:

v Comissão de disciplina e higiene;

v Comissão de informação e placado;

v Comissão de recreação e arrumação;

v Comissão de desporto;

v Comissão de liturgia e celebrações.

7.5- Responsabilidades da direcção:

v Presidentes:

Ø Orientar o grupo;

Ø Presidir as reuniões;

Ø Velar pela conduta dos membros em geral, mas sempre em observações do assistente espiritual do grupo.

v Secretários:

Ø Organizar os arquivos;

Ø Elaborar as actas das reuniões;

Ø Os relatórios das actividades;

Ø Velar pelo trabalho do tesoureiro e do vogal.

v Tesoureiros:

Ø Avaliar as necessidades do grupo;

Ø Cobrar cotas e outras contribuições;

Ø Auxiliar as comissões de disciplina e higiene;

v Vogais:

Ø Prestar formação aos novos membros;

Ø Acompanha-los até o compromisso acompanhado pela comissão da liturgia e celebrações;

Obs: Devem auxiliar o vogal as comissões de recreação e arrumação e a comissão de desporto.

7.6- As responsabilidades das comissões de trabalho:

v Disciplina e Higiene:

Ø Velar pela disciplina do grupo;

Ø Tomar medidas quando forem precisas;

Ø Em caso de desordens, solicitar o presidente com o auxílio do assistente espiritual;

Ø Velar pelo modo de apresentação dos membros;

v Informação e placado:

Ø Elaborar o placar murar dos acólitos (voz do acólito)

Ø Veicular informações úteis da comunidade e do mundo do acolito em particular?

v Recreação e arrumação:

Ø Elaborar programas de actividades recreativas;

Ø Arrumação da sala de reuniões e encontros e outros locais necessários;

Ø Procurar lugares para acampamentos e caminhadas.

v Desporto:

Ø Elaborar programas desportivos;

Ø Administrar treinos;

NB: Em tempos de aulas deve ser nos dias possíveis e em tempos de férias o grupo poderá arranjar tempo para o efeito;

v Liturgia e celebração:

Ø Estar atento ao proceder de todos quando estiverem a exercer funções litúrgicas.

Ø Acadimar os que não estiverem bem vestidos para servir o altar;

Ø Apresentar ao grupo as leituras da missa;

Ø Ensinar cânticos.

Artigo II

a) Estrutura do grupo

Assim como no passado os que serviam à Jesus não eram simplesmente homens, mas também mulheres, o movimento de acólitos também é constituído por homens e mulheres.

«E todos unidos pelo mesmo sentimento, entregavam-se assiduamente à oração com algumas mulheres, entre as quais Maria mãe de Jesus e com os Seus irmãos» Act (1.14)

1.1- O grupo está escalado por parte dos masculinos pelas seguintes idades: 10/25

Para o feminino o grupo está escalado pelas seguintes idades: 12/19

a) Admissão dos candidatos/as

1.1- Sempre que o assistente espiritual e a direcção do grupo achar conveniente dá-se a conhecer ao pároco e Este por sua vez a comunidade da paróquia.

1.2- Depois de quatro (4) semanas de presença e de avaliação total do candidato é apresentado à comunidade e só assim é alistado para a formação.

1.3- Para ser ministro da paróquia de Santa Teresinha do Menino Jesus admitimos os Pré adolescentes que já possuam os dois (2) sacramentos iniciais da iniciação cristã (Baptismo e Comunhão)

1.4- Os maiores de 18 anos serão avaliados ao nível dos seus comportamentos pelo pároco e assistente espiritual.

1.5- Os candidatos devem ter as seguintes condições:

v Sacramento do Baptismo;

v Sacramento da Eucaristia;

v Admissão pelo pároco e assistente espiritual do grupo;

v Aceitação dos pais;

v Documentos como:

Ø Certidão narrativa do Baptismo;

Ø Fotocópia do BI ou cédula;

Ø Duas fotografias tipo passe e uma inteira;

b) Esquemas de reuniões e encontros

1.1- O esquema das reuniões é diversificado de acordo às ocasiões e o normal é seguir o seguinte esquema:

v Acolhimento (dança, brincadeira, cânticos…)

v Oração inicial;

v Tema/ explicação;

v Verificação de presenças (chamada)

v Actualização das contribuições (cota)

v Avisos;

v Oração final.

Obs.: a agenda das reuniões fica a cargo do secretário.

1.2- O esquema dos encontros também é diversificado de acordo às ocasiões e o normal é o seguinte:

v Acolhimento;

v Entoação do hino;

v Oração inicial;

v Leitura Bíblica;

v Apresentação do tema;

v Críticas e conselhos;

III Artigo

a) Afastamento

1.1- Deverá estar afastado do grupo todo o acolito que por motivos alheios à nossa vontade:

v Viajar definitivamente;

v Ter uma grande ocupação que o impossibilita de participar ativamente às actividades do grupo;

v Ser um mau exemplo para a sociedade e para a igreja;

v Engravidar;

v Casar;

b) Expulsões

1.1- Serão expulsos do grupo todos os acólitos que não cumprirem com os deveres e obrigações expostos no artigo V…

1.2- Todo o acolito que tiver o grupo como um meio de lazer;

1.3- Serão Aida expulsos todos os membros que contribuírem para a destruição do grupo e inimizades dentro do mesmo;

c) Proibições

1.1- Será proibido o abandonar o altar durante as celebrações por motivos não justificáveis;

1.2- Entrar na sacristia se estar escalado;

1.3- Estar fora da missa sem justificações;

1.4- Apresentar-se mal vestido nos lugares públicos sobretudo nas actividades da igreja;

1.5- Consumir bebidas alcoólicas

IV Artigo

a) Eleições

1.1- No grupo deve haver eleições de dois (2) em dois (2) anos;

1.2- Sempre que a alguém estiver incapacitado ou demitir-se deverá ser substituído pelo seu adjunto;

1.3- Sempre que a direcção não der provas de empenho positivo;

1.4- Candidata-se para as eleições todo o membro que já tem bases de trabalho como dirigente e que já é elemento do grupo por três (3) anos;

1.5- Para as comissões todo o membro que faz parte do grupo há dois (2) anos;

1.6- No caso de não haver elementos antigos não haverá eleições;

1.7- O presidente do grupo ou a assistente espiritual deve apenas eleger aquele que tiver capacidade e ser responsável para a execução do mesmo.

b) Necessidades

1.1- O grupo deve ter as seguintes condições:

v Sala de encontros e reuniões com mínimas condições (cadeiras, um quadro, luz eléctrica…)

v Paramento completo;

v Matérias didáticas;

v Materiais recreativos;

v Materiais de desporto (equipamentos, apitos, bolas e outros;

v Materiais litúrgicos como:

Ø Cruz processional,

Ø Turíbulo;

Ø Naveta;

Ø Sírio;

Ø Castiças;

Ø Missal romano,

Ø Hissope e todo o conjunto que o compõe.

c) Estímulos;

1.1- Sempre que for necessário, a comissão de recreação e arrumação em colaboração com a comissão de disciplina e higiene devem premiar os mais destacados do ano. "Estes deverão ser escolhidos pelo pároco"

1.2- A premiação deve ser aquando da festa do grupo, isto é, no dia do compromisso;

1.3- Em cada tomada de posse, isto é, de dois (2) em dois (2) anos deve fazer-se a festa interna do grupo.

1.4- De quando em vez, será necessário que se organize caminhadas e acampamentos;






Comentarios / Consultas
Palabras Clave:
angola matala